quem somos?

Este blog é uma iniciativa do Núcleo da Família da Primeira Igreja Batista em Londrina.

O vocábulo família vem do latim famulus, significando, o criado ou aquele que serve. A palavra servia para designar o conjunto de empregados de um senhor e, só mais tarde, passou a ser usada com o sentido de um grupo de pessoas, unidas pelos laços de sangue, que viviam no mesmo lar e estavam debaixo da autoridade comum de um líder.

Este é o significado etimológico do termo, mas não termina aí o seu significado real. A família básica é uma comunidade de pessoas afins: pai, mãe e filhos, assim como, a Trindade é uma relação das três pessoas da unidade Divina. Há um só Deus, mas este é comunitário. A família, também, é a expressão de uma viva comunidade consanguínea e bem definida pelos laços de afetividade compartilhada.

Se, do ponto de vista genético, o sangue é o principal vínculo familiar; do ponto de vista relacional, o amor é o grude que sustenta os laços duma família saudável.

Assim, não basta ter a mesma origem de sangue, é preciso ter um ambiente comum, afetuoso.

Vivemos hoje uma grande crise na família e se ela for ao chão, a sociedade desmorona. Por isso, a nossa maior atenção aqui, nesse blog, é voltar nossos olhos para a importância e valor da família, e, você está convidado a participar conosco dessa tarefa.

De modo geral, vivemos mais atentos na busca de ter as coisas, do que em ser o tipo certo de gente amorosa; com isso, perdemos nosso maior tesouro aqui, a família.

Certamente, o dinheiro pode edificar uma casa, mas só o amor pode edificar o lar. Veja o que o sociólogo Stephen Olford disse: – “Quando beijos e abraços cessam em um lar, prBaby-Chair-girl-with-tray1oblemas estão a caminho.” Não basta – só darmos presentes – é preciso que nós sejamos bem presentes nos encontros e desencontros da vida familiar. Alguém disse que muitos pais dão tudo aos seus filhos, menos a si mesmos, e isto, é uma tragédia.

Este blog tem como objetivo tratar com a importância do lar, a fim de podermos  tratar da família, em sua importância. Um jurista norte americano afirmou: – “a cura para a  criminalidade não está na cadeira elétrica, mas na cadeira do bebê”. As crianças carecem de amor e ainda mais quando não merecem. (Jesus é o amor do Pai, amor incondicional).

Um lar sem amor é um cadáver que só exala mau cheiro. Mas a família que se ama transpira o bom perfume de uma amizade agregadora. Não há lugar mais aprazível para se viver do que no convívio de uma família amorosa, generosa, graciosa e alegre.

Quero só lembrar aos cristãos mais esse dito. “O cristão deve viver de tal forma que não tenha medo de vender o papagaio da família para os fofoqueiros da cidade.” Se a nossa vida em família for transparente e sincera, temos grande chance de criar um tipo de cultura saudável, capaz de formatar o caráter por muitas gerações. Gosto de  pensar que, Deus ao se encarnar, não veio ser operário numa fábrica, mas membro de uma família.

Na família da cruz,

Glenio Fonseca Paranaguá.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s