A construção da memória da família

Descobrir formas de investir tempo com qualidade em sua família não é somente importante, mas vital para a estabilidade, unidade, saúde dos relacionamentos e saúde mental dos filhos.

As memórias boas são construídas na infância e na adolescência e através da escolha de tradições, rituais e oportunidades de vivenciar datas e lugares de forma simples e criativa.

É quando as crianças estão sob a liderança dos pais que se constroem as lembranças que levamos por toda a vida, é uma co-construção onde os pais criam e lideram.

As adversidades acontecem sem que os pais tenham controle sobre elas. As perdas, os acidentes, os eventos traumáticos serão contrapostos e superados com mais saúde quando há memória de momentos alegres, divertidos e carinhosos em família.

A vida é repleta de momentos difíceis desde o nascimento, que nos fortalecem, desenvolvendo resiliência, capacidade de superação e amadurecimento. É responsabilidade dos pais, a construção de boas memórias.

A educadora Michele Borga tem estudado, pesquisado e escrito sobre este tema, como criar memória saudável e feliz da família.

Ela relata que pesquisas mostraTotallyFreeImages.com-281027-Standard-previewm que simples rituais aumentam sentimentos de pertencimento e aconchego e também aumento da habilidade social e desenvolvimental da criança.

A memória é construída através de momentos que se repetem e transformam-se em rituais que ficam registrados como momentos felizes e tornam-se recursos para momentos quando as adversidades chegam.

É maravilhoso ter boas memórias, e como as crianças e adolescentes vão se lembrar desta época na vida adulta? Com boas ou más memórias em famílias? Este é um grande desafio.

Como as boas memórias influenciarão sua vida no futuro? Quais as conseqüências da memória de coisas ruins?

Ron Luce, autor do livro ‘Recreate: Buiding a Culture in our Homes that is Stronger than the Culture Deceiving our Kids’ (sem tradução para português) relata que grande porção da cultura de uma família é construída a partir de coleção de narrativas e memórias, algumas verdadeiras e outras falsas, algumas engraçadas e outras difíceis. Toda esta vivência entre família cria uma atmosfera que nos define como somos.

Uma das chaves da construção da saúde da família é se perguntar constantemente: que tipo de memória estou criando agora, boa ou má?

Não é somente pensar “o que estou fazendo neste momento para minha família ou o que estou proporcionando para a mesma, mas que tipo de memória estou imprimindo na mente dos meus filhos?”

Muitos de nós temos sofrido com a ilusão de que simplesmente temos que ganhar dinheiro extra para dar mais conforto à família, mais coisas é que irão proporcionar uma boa infância e uma boa adolescência.

Constantemente nós acabamos substituindo o processo de criação de memórias significativas por presentes e coisas materiais. Também constantemente nos esquecemos que a dedicação para a criação de momentos felizes e construção de memórias boas, tem um custo irrisório, mas criarão grandes histórias de famílias e significantes lições éticas que serão guardadas na memória de nossas crianças, para que no futuro criem suas próprias heranças e legados familiares, para suas próprias crianças.

Como você gostaria de ser lembrado pelos seus filhos: como pais que fazem coisas para eles ou com eles?

Nada é mais forte do que a memória criada pela vivência em família e cabe relembrar que os pais são os responsáveis pela co-construção da boa ou má memória de seus filhos.

Na família da cruz,

Iara Monteiro de Castro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s